"TREINAMENTO DE RITMO".

 

 

Prof. Esp. Marco Angelo Barbosa

 

Muitas vezes ouvimos numa competição um atleta falando: - meu coração parece que vai sair pela boca. E ainda, aquele que dispara loucamente no início da prova e, após, cinco minutos ele é ultrapassado por todos que ele havia ultrapassado, permanecendo assim, até não conseguir mais correr, pedalar ou nadar.

Numa prova como triathlon, natação e corridas longas o atleta deve economizar no início o máximo de energia possível para poder terminá-la, mas isso, não caracteriza que o atleta irá ter sucesso. É necessário que se conheça as verdadeiras possibilidades do atleta, numa avaliação física prévia e que determine-se a performance numa determinada prova, definindo a sua velocidade média de deslocamento. Tentar sprintar sucessivamente no início da prova estará fazendo com que o organismo utilize o glicogênio muscular como fonte de energia e produza altos níveis de ácido lático que terão que ser removidos e, ainda fazendo com que as reservas de glicogênio diminuam, e com isso, também a performance no decorrer da prova fazendo com que muitas vezes não a complete.

O ritmo de prova deve ser estabelecido previamente, calculando-se o tempo que deve ser gasto para completar cada quilometro (km), e se possível cada 500 m, 100 m e 50m, para permitir um excelente controle pelo atleta. A necessidade de manter-se um ritmo constante é saber exatamente qual o potencial das reservas de glicogênio muscular.

O treinamento de ritmo possibilita um atleta acostumar a trabalhar na mesma velocidade de competição e, portanto, deve ser executado na mesma velocidade que o atleta deverá manter na competição alvo. Logo, observa-se que o treinamento deve ser específico, isto é, o ciclista deve pedalar, o nadador deve nadar, o triathleta deve treinar no ritmo determinado para cada modalidade.

O objetivo do treinamento de ritmo é possibilitar adaptações fisiológicas, em principais: "o recrutamento de fibras musculares e a elevada freqüência cardíaca e respiratória"; psicológicas ao ritmo que ele deverá executar no dia da competição alvo.

As sessões de treinamento de ritmo devem ser executadas num determinado percentual da distância da prova que é estabelecido de acordo com fase do treinamento e da periodização da temporada de competição. Estas sessões devem fazer parte do treino a cada 15 dias na fase específica e a cada semana no período de competição; devido as elevadas intensidade e a pouca distância completada não devem ser programadas na fase básica da periodização do treinamento.

Quanto melhor a performance do atleta menor poderá ser a distância utilizada no treino e quanto menor a performance do atleta maior deverá ser a distância do treino. Permitindo que mais sessões em alta intensidade sejam estabelecidas para o atleta de melhor nível. O treinamento deverá ser feito do mesmo modo que o interval-training, isto é, em séries e repetições.

Prof. Esp. Marco Angelo Barbosa

  • Especialista em Treinamento Desportivo (UCB-RJ).
  • Graduado em Educação Física (UFRRJ).
  • Coordenador Técnico do Laboratório de Avaliação Física da UCB-RJ.
  • Especialista em Somatotipia
  • Personal Trainer.

Para dúvidas entre em contato: